04 julho 2009

A ninfa-bebê


Meu nome é Maria Cláudia. E depois que descobri que o meu namorado (com quem eu já estava há três meses num tórrido romance de cinema francês) já tinha uma namorada (eu era a amante!), entrei em parafuso. E era por isso que estava ali, naquele consultório de dentista (sem estar com nenhum problema dentário) pra ver como era a tal figura que tinha surgido de repente pra melar o meu final feliz.
Depois de alguns dias de pesquisa pra saber onde ELA trabalhava, ali estava eu. Entrei e fiquei esperando pra ser atendida (parada, olhando pra ELA sem acreditar no que via!).
Era ELA! Pele? Quinhentas espinhas na cara e um milhão de marcas de espinhas no ombro. Corpo? Mais pra raquítico que pra magro. Idade? Vinte, no máximo (Affff! Uma ninfa!). Cabelo? Só uma cabeleira enoooorme e lisa, presa por um palito japonês, sem forma, sem balanço (parecendo aqueles religiosos que não cortam o cabelo nunca).
Paralisada pelos meus pensamentos (eu pensei que fosse gritar tudo o que estava pensando), nem ouvi quando a ninfa-bebê me disse um simpático "pois não" (simpático e falso, ?) e devo ter ficado com cara de mais louca ainda quando não respondi de imediato o que tinha ido fazer ali. Aliás, o que eu tinha ido fazer ali mesmo? Na pressa de conferir como era a minha rival esqueci de inventar uma boa desculpa.
"Eu vim falar com a Juliana.", falei o primeiro nome que me veio à cabeça.
Ela fez cara de quem não entendeu e depois de alguns loooongos segundos, colocou um óculos (ninfa míope existe?), pegou o telefone e calmamente disse: "Ju, tem uma pessoa aqui querendo falar com vc." PQP, tinha que ter uma Juliana mesmo naquele prédio?
A ninfa-bebê desligou o telefone, tirou os óculos, pediu que eu esperasse, levantou-se e sumiu por uma porta lá. E eu permaneci parada por alguns segundos, até recuperar a inteligência e sair numa corrida desenfreada até o próximo ponto de ônibus.
Sentada no ônibus, concluí que o meu "namorado" era louco de deixar um mulherão que nem eu pra ficar com aquela figurinha de revistinha teen. Mas paciência. Apaguei o número dele do celular, torcendo pra minha memória deixar de ser boa e ele não insistir em continuar me procurando. Se bem que a imagem da ninfa-bebê me pareceu broxante demais pra eu conseguir ter ainda algum affair com ele.
Moral da história: "Eu sei que eu sou bonita e gostosa"! Perto dela, a ninfa-bebê, sem sombra de dúvida eu o sou. Rsrsrsrs.




Obs: Dedicado a quem já fez isso. Eu ainda não fiz, mas ouvi a história com a certeza de que eu teria feito exatamente igual. KKKKKKKKKKKKKKK!!

8 comentários:

RÓ lopes disse...

Uhruul! "Eu sei que eu sou, bonita e gostosa..." Amei! kkkkk.

Seria uma historinha trágica se não fosse engraçada!
Essa Maria Claúdia é foda!!!


Amei!
Amei!
Amei!

=)

BOGUS GABRIEL disse...

ela é o cara, gostei tbm, so q ela podia era ter aberto o jogo pra rolar confusão. kkkkkkkk

otima historia JAY.

Ronaldo disse...

Oi amiga,

tudo em paz contigo?

comecei a ler e achei que tinha acontecido algo com seu relacionamento, mas depois entendi do que se trata, eheheheh

tenha uma linda semana

bjssss

Ronaldo disse...

Feliz dia do Amigo para você

Boa semana

Ro

Ronaldo disse...

Amiga, cadê você? Eu vim aqui só apra te ler....

Bom mês de agosto pra ti
Bjs
Ro

rouxinol de Bernardim disse...

Autoestima em alta! Assim, sim!

Bebela disse...

Adorei esse!!!
Mas te garanto que se a tal "ninfa" fosse a miss-universo, Maria Cláudia ainda acharia defeito nela!!!haha
Gostei demais do "Eu sei que eu sou, bonita e gostosa..."
hehe
Bjo!

RÓ lopes disse...

Passei por aqui pra saber se pelo menos seu blog vc tava visitando e com o q me deparo?!

Com comentários sobre a aventura da Maria Claúdia!

Deu ibope!!
Adorei!!!

hahahahahhahaha..

Volta loooogo!

Beijoss ;*