20 novembro 2008

Princípio e Conveniência

Princípio, como a própria palavra já esclarece, é o começo.
Por isso quando se fala em princípios, fala-se do início de qualquer coisa, situação, sentimento. E inicio é só isso mesmo: o começo de tudo.
Depois é outra história. Quando a conveniência entra no jogo, os princípios passam a ser relativos. Depende do que está em voga. Se forem sentimentos, os princípios tornam-se, de repente, tão relativos e flexíveis, que até parece que nos tornamos outras pessoas. Mesmo que acometidos pelo sentimento de culpa, desviamos do "caminho correto" e cometemos erros nunca cogitados. Os mesmos que até pouco tempo condenávamos de forma convicta.
Se a libido estiver em questão, aí é que o bicho pega mesmo. Cegos de desejo. esquecemos todas as boas lições aprendidas e partimos para a entrega total, sem pensar em qualquer mal ou consequência possível.
Até parece um pensamento super masculino, mas todo mundo faz isso. Condena, sem sequer se colocar no lugar do outro, tentar entender seus motivos ou, simplesmente, manter-se neutro, sem julgamentos ou opiniões.
O outro é um caixinha de surpresas, assim como nós mesmos o somos. Partir dessa premissa já é um bom começo pra prevenir-se de ter que abaixar a cabeça ao perceber em si mesmo as fraquezas condenadas no outro.
Nestes casos, ser sincero com o próprio coração é a melhor forma de agir. Para não julgar, para não cair na hipocrisia, para não ser dono da verdade, para não decidir somente segundo os próprios interesses mudando as regras de acordo com sua conveniência.
Nossas verdades costumam ser mais assustadoras do que podemos imaginar. Saber disso é o melhor remédio contra o pré-conceito que se faz das atitudes de outrem.
Ademais, esse lance de "faça o que eu digo, não faça o que eu faço" já não funciona mais neste mundo em que todos são vigiados o tempo todo. Pense nisso...


Dica do dia: "Temos dois ouvidos e apenas uma língua. Portanto, devemos ouvir mais e falar menos." (Ops! Esqueci o nome do autor)

2 comentários:

Tabaquinho PT disse...

Como sempre sensacional!!!

Como disse Dalai Lama: "A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância."

Luis Filipe disse...

Muito bom esse blog
=D
vou acompanhar