20 outubro 2008

Exaltação às heroínas: nós.

Dando uma boa lida nos textos anteriores, fiquei acá com meus botões pensando. Minhas pautas geralmente envolvem um assunto único: homens. E me ocorreu que me sinto a fugir dos reais objetivos de minhas linhas.
Mulheres são verdadeiros poços de preocupações. Das mais variadas, em intensidade, tipo e motivos. Não passamos horas pensando nos homens nem nos males e bens que poe eles são proporcionados. Nossa palavra de ordem é, basicamente, assertividade. Queremos ser boas amigas, profissionais competentes, mães realizadas, donas-de-casa exemplares, entre outras coisas.
Talvez o motivo de tal intermitência do assunto deva-se ao fato de que no relacionamento homem-mulher, o buraco seja, literalmente, mais embaixo.
Tantas Marias e Joanas dão conta de tudo, mas não se dão tão bem na vida amorosa. Somos criadas para ter personalidade e atitudes de heroína e caímos num mundo em que os heróis geralmente são homens.
Pouco importa se esses heróis são bons maridos, bons pais, bons cozinheiros e uma série de outras coisas ao mesmo tempo. São heróis em alguma coisa e ponto. Mulheres precisam ser boas em um enorme lista de coisas pra serem realmente notadas.
Então, a minha luta de hoje é pelos pequenos heroísmos femininos de cada uma de nós no decorrer dos dias.
Aposto que todas nós temos unzinho que seja pelo menos pra comemorar e do qual se orgulhar.
Pode ser a maquiagem que ficou perfeita. Pode ser ainda a vitória de conseguir fazer o filho usar o vaso sanitário. Tem também hoje aquelas que conseguiram resolver um pepino de 10 quilômetros no trabalho e, por causa disso, mal tiveram tempo de almoçar ou levar suas filhas ao colégio.
Há aquela dona-de-casa feliz por ter acertado a receita do bolo de cenoura preferido do seu marido e do seu filho. E por ter descoberto um supermercado bem pertinho de casa que tem os melhores preços da praça.
A melhor mulher, a mais feliz é, com certeza, a que já conseguiu descobrir que não precisa ser perfeita em tudo o que faz, se conseguir dar o seu melhor. É a que consegue olhar à sua volta e enxergar que, por suas mãos e por sua presença, o mundo possui uma beleza sem tamanho. Beleza esta que pode ser notada na vivacidade dos seus filhos, no sucesso de seu amor, no trabalho que desempenha com classe e amor, na casa que constrói apesar de todas as dificuldades. Beleza que só pode ser oriunda de uma mente assertiva, resiliente e, acima de tudo, sensível como só é a feminina.

Um comentário:

Bruno Block (Tabaquinho) disse...

Sensacional!!!

É mais que comprovado que a mulher é mais forte que o homem; que faz as coisas com mais cuidado, mais carinho!!!
Parabéns a todas as mulheres que de alguma forma lutam pelos seus direitos!!!
Todo poder às mulheres!!!

Beijos!!!