31 agosto 2008

Conversa na madruga (Para Marlos e Carla, os protagonistas da cena....KKKKKKKKKK)

Virou-se na cama pela décima vez tentando ajeitar-se numa posição que permitisse a chegada do sono. Olhou para o lado e viu o marido roncando e dormindo satisfeito. Deu um cutucão disfarçado pra ver se ele acordava e nada. Mexeu-se com mais força e só conseguiu fazer com que ele desse uma viradinha na cama.
Sem poder suportar mais a solidão e o escuro do quarto, chamou por ele:
_ Bem?
_ Hummm...
_Acorda! Eu tô sem sono! Conversa comigo.
Dele conseguiu ouvir somente uma reclamação do tipo:
_ Ah não, me deixe dormir. E Durma também!
Pronto! Foi o suficiente pra começar uma discussão. Acendeu a luz e desandou a falar.
Disse que não havia mais diálogo entre os dois e que ele não conseguia ser companheiro nem numa coisa simples como uma insônia. Ele ficou tentando ignorar, mas ela falou tanto que o sono dele acabou por tomar chá de sumiço.
Disposto a conversar, começou a se desculpar:
_ Não é isso, amor! É que eu estava com muito sono. Mas se você quer tanto vamos conversar então.
Começaram a conversar. Ele falou do dia que tinha sido longo, discutiu questões sobre o andamento da reforma que estavam fazendo e perguntou pra ela:
_ O que vc acha do piso novo que eu escolhi?
Nenhuma resposta. Virou-se pra ela e lá estava a esposa com os olhos pesados prestes a dormir.
Tentou manter a conversa, insistiu no assunto e só tinha dela respostas vagas e curtas.
Indignado, quis saber:
_ Você não vai falar comigo não? Vai me deixar falando sozinho agora que perdi o sono por sua causa?
Ela, com a cara mais normal do mundo respondeu-lhe:
_ Ai amor, sabe o que é? Estou muito cansada, com muito sono e tenho que levantar muito cedo amanhã.
Possesso, ele ainda insistiu:
_Não acredito! Logo agora que eu queria conversar?
Ela, com a voz pastosa disse:
_Então, amor, deixa essa conversa pra amanhã, deixa? Boa noite.
Virou-se para o canto e dormiu em menos de cinco minutos.
Ele não deixou por menos. Começou a falar sem parar que não conseguiam mais conversar, que ela não era companheira, que não o ouvia etc. E enquanto falava o único movimento que ela fez foi o de levantar-se da cama com as cobertas e o travesseiro na mão.
Interrompendo sua ladainha ele quis saber:
_Onde você vai?
Ao que ela respondeu de pronto:
_Dormir no quarto do Júnior porque do seu lado é mesmo impossível dormir.

2 comentários:

Carlinha disse...

ADOREI...
Coitadinho desse marido deve sofrer tanto...
kkkkkkkkkkkkkk

Jay muito bom...
Um dia quero ser q nem a protagonista desse texto,será q eu consigo?(rsrs)
Vlw!!!

Maristela disse...

Oiiii, que legal! Vc conseguiu traduzir de uma maneira leve humorada os problemas cotidianos de qualquer casal normal...BJ!